...

Um amor suficiente | Pr. Eduardo Treumann

Igreja Viva

Há duas semanas começamos falar sobre o que toda família precisa e chegamos a conclusão que o essencial para todas as famílias não se trata de algo material, pois a resposta para todas as nossas necessidades está em Deus e no fruto que o Espírito Santo produz em nós a medida que caminhamos com o Senhor.

Durante essa série de reflexões nos propomos a conversar sobre cada elemento desse fruto e suas implicações em nossa vida familiar. Já falamos sobre Alegria, Paz e hoje falaremos sobre o Amor;

Vivemos em uma sociedade que se desenvolveu a partir do pecado original e que por isso constantemente nos machuca e amargura em diferentes áreas. E isso não seria diferente quando falamos de amor.

Quantos de nós não colecionamos decepções amorosas em nossas famílias, sejam elas a perda de um ente querido, a infidelidade de alguém em que confiávamos, a ingratidão, um doloroso divórcio, entre outras situações, resultantes de nossas idéias humanas falhas sobre o amor.

Esse tipo de percalço na nossa trajetória segue tornando nossos dias opacos, cheios de desconfiança, desesperança e amargura. Assim como aconteceu com Noemi, personagem muito importante do livro de Rute. Acompanhe essa narrativa:

1 Na época dos juízes houve fome na terra. Um homem de Belém de Judá, com a mulher e os dois filhos, foi viver por algum tempo nas terras de Moabe. 2 O homem chamava-se Elimeleque, sua mulher Noemi e seus dois filhos Malom e Quiliom. Eram efrateus de Belém de Judá. Chegaram a Moabe, e lá ficaram. 3 Morreu Elimeleque, marido de Noemi, e ela ficou sozinha, com seus dois filhos. 4 Eles se casaram com mulheres moabitas, uma chamada Orfa e a outra Rute. Depois de terem morado lá por quase dez anos, 5 morreram também Malom e Quiliom, e Noemi ficou sozinha, sem os seus dois filhos e sem o seu marido. (Rute 1.1–5.)

Noemi significa “Agradável”, mas esse trecho exemplifica bem como ela se tornou Mara, ou seja amarga.

Ela vivia em um lugar onde as pessoas estavam morrendo de fome e a comida tinha se tornado cada vez mais escassa, por isso seu marido chega a conclusão de que o melhor para sua família seria se mudar para Moabe, uma cidade considerada pagã, mas onde eles conseguiriam o suficiente para viver de forma digna. Mesmo assim, Noemi não se sentiu muito confortável com a ideia e se mudou meio a contragosto, mas resignada a buscar o melhor para sua família.

Algum tempo depois seu esposo e seus filhos faleceram. E tudo que lhe restou foram suas noras. Assim, ela se encheu de ressentimento e acreditava que Deus a havia abandonado e não trabalhava mais em seu favor. Então pediu que não a chamassem mais de Noemi, mas sim de Mara.

“Não me chamem Noemi, melhor que me chamem de Mara, pois o Todo-poderoso tornou minha vida muito amarga! 21 De mãos cheias eu parti, mas de mãos vazias o Senhor me trouxe de volta. Por que me chamam Noemi? O Senhor colocou-se contra mim! O Todo-poderoso me trouxe desgraça!” (Rute 1.20–21.)

Diversas situações da vida cotidiana transformam pessoas agradáveis (Noemis) em pessoas amargas (Maras). Mas felizmente o livro não termina no primeiro capítulo. O livro de Rute não traz apenas más notícias,mas reflete o evangelho de Jesus, relatando um Amor que sobressai às trevas. E revela o caráter soberano e cuidadoso de Deus, HESED, Amor Leal de Deus.

O amor de Deus por Noemi era constante mesmo quando ela mesma não era. E o Senhor começa a mudar sua história, através da decisão de Rute de ir com Noemi para Belém, mesmo quando a mesma pede para que Rute volte para casa de sua mãe.

16 Rute, porém, respondeu: “Não insistas comigo que te deixe e que não mais te acompanhe. Aonde fores irei, onde ficares ficarei! O teu povo será o meu povo e o teu Deus será o meu Deus! 17 Onde morreres morrerei, e ali serei sepultada. Que o Senhor me castigue com todo o rigor, se outra coisa que não a morte me separar de ti!” (Rute 1.16–17)

Rute conheceu o AMOR LEAL de Deus e deixou com que Ele guiasse suas escolhas, permitindo assim ser agente direta de transformação na trajetória de Noemi.

O livro de Rute segue mostrando como a partir disso Deus restaurou a vida dessas mulheres e através da entrega de Rute encheu de alegria a vida de Mara a ponto dela voltar a ser Noemi. Uma mulher agradável, amigável, cheia de esperança e com uma linhagem abençoada.

O amor de Deus, é tudo que precisamos para restauração da nossa história. É Ele quem transforma a crise em calmaria, quem consola a viúva, restaura o mentiroso, cala o fofoqueiro, cura a tristeza do coração, coloca o solitário em família e nos preenche por completo. E a melhor notícia é que esse Amor, é dom gratuito de Deus para nós, ou seja, basta que o aceitemos.

"Não há nada que você possa fazer para Deus te amar mais; e não há nada que você possa fazer para Deus te amar menos.”
-Philip Yancey

Não existe família perfeita ou mesmo relações sem dificuldades, mas o Amor Leal, Infinito e Imutável do Senhor é com certeza tudo oque nossas famílias precisam.

Confira as fotos!

Confira abaixo a pregação completa e um pouco de como foi nosso culto no último domingo:

VIDA IBB

Igreja Viva

A algumas semanas atrás começamos a falar a respeito do que toda a família precisa. E nesse tempo temos refletido sobre o Fruto Do Espírito e as características Dele em nós (o amor, alegria, p...

#culto de domingo
Igreja Viva

A IBB é uma igreja viva que se compromete em ser suporte para seus membros realizarem o IDE da melhor maneira dentro daquilo em que foram chamados e para isso diversas ações são realizadas estr...

#missoes

ver todas