...

Como viver um evangelho que ultrapassa as barreiras sociais?

Igreja Viva | publicado há 4 semanas

A Palavra de Deus é a base do conhecimento da igreja. Por isso refletiremos através dela a respeito de dois fundamentos primordiais para viver o chamado de Deus além das fronteiras, com base em Atos 1. 1-14.  

Em meu livro anterior, Teófilo, escrevi a respeito de tudo o que Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado ao céu, depois de ter dado instruções por meio do Espírito Santo aos apóstolos que havia escolhido. Depois do seu sofrimento, Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus. Certa ocasião, enquanto comia com eles, deu-lhes esta ordem: "Não saiam de Jerusalém, mas esperem pela promessa de meu Pai, da qual lhes falei. Pois João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo". Então os que estavam reunidos lhe perguntaram: "Senhor, é neste tempo que vais restaurar o reino a Israel? " Ele lhes respondeu: "Não lhes compete saber os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade. Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra". Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu da vista deles. E eles ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele subia. De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: "Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado ao céu, voltará da mesma forma como o viram subir". Então eles voltaram para Jerusalém, vindo do monte chamado das Oliveiras, que fica perto da cidade, cerca de um quilômetro. Quando chegaram, subiram ao aposento onde estavam hospedados. Achavam-se presentes Pedro, João, Tiago e André; Filipe, Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão, o zelote, e Judas, filho de Tiago. Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus.  Atos 1. 1-14

Jesus: onde o próprio Deus rompe as barreiras.

O trecho citado fala a respeito do que aconteceu depois da ressurreição de Cristo, de como se comunicou com seus discípulos e o que os ordenou que fizesse após sua ascensão aos céus. A Partir dele é possível concluir que Deus foi o primeiro a romper fronteiras, ao enviar seu filho unigênito à terra, compartilhar através Dele seus planos para humanidade e escolher habitar dentro de nós.

A fé cristã fala a respeito desse  Deus que desejou desde o princípio estar junto a sua estimada criação.  E mesmo após o pecado original e o distanciamento do homem, escolheu adotar como filho todo aquele que crer através da obra de Cristo. 

Em Jesus Deus se revelou como um Pai cuidadoso, bem ao contrário do antigo imaginário de um Deus que  vivia distante, observando do céu sem se importar.

Além disso, deu ao mundo a graça de viver uma vida espiritual saudável, não somente por sua companhia, mas pela verdadeira habitação do Seu Espírito em todos aqueles que tiverem um encontro com Jesus.   

Então a mentalidade necessária para viver um evangelho que ultrapassa qualquer barreira, é a que exercita constantemente o entendimento da proximidade do Senhor.

Oração precede a ação

Toda auto-suficiência do homem é revelada com age precipitadamente, porém para agir em prol da expansão do reino dentro das camadas da sociedade o essencial não são as boas obras humanas, mas sim a graças de Deus.

Jesus mesmo sendo Deus buscava em oração o Pai sempre que estava diante de uma nova situação, decisão importante ou grande passo. Assim como grandes homens levantados por Deus fizeram antes da chegada Dele. 

Tudo o que Jesus fez enquanto cumpria seu ministério foi intencional, Ele era Deus, estava unido ao Pai e conhecia seus pensamentos, mas orava para estabelecer um padrão a ser seguido.

Em Atos 2 todos que estavam reunidos no tabernáculo receberam o Espírito Santo, foram cheios e capacitados por Ele assim como Jesus  havia dito. Porém isso só aconteceu depois de se reunirem em oração, como relata o trecho de Atos 1.14.

A verdade é que você pode trabalhar para obra de Deus apoiado somente em suas próprias forças, habilidades e conhecimentos. Mas desse modo seu serviço será apenas um trabalho social.

A graça de Deus é que resgata, o Espírito é quem convence, o Cristo é quem salva, por isso não há como ser um agente do Reino se não estiver alinhado com a vontade de Deus, armado com a sabedoria de Jesus e cheio do Espírito Santo. O que se dá apenas a partir da oração.

Entenda mais a respeito do tema conferindo na integras deste último domingo, disponíveis logo 

abaixo:

VIDA IBB

...
Igreja Viva | publicado há 18 horas
#culto-domingo
#cura e libertação

ver todas